O seu browser está desatualizado!

Atualize o seu browser para ter uma melhor experiência e visualização deste site. Atualize o seu browser agora

×

REGRAS: ATACADO E VAREJO

Nós vendemos no atacado e no varejo. As joias tem descontos variados que vão ate 40%:

  • - Compra mínima de R$ 700,00;
  • - Quantidade mínima: 12 peças.

Obs.: Não é possível comprar no atacado menos de R$ 700,00 e menos de 12 peças.

A troca somente será feita de acordo com a nossa política de trocas. Não trabalhamos com vendas consignadas no e-commerce.

ou

Os Judeus do Vaticano

Avraham Milgram

Código: 02.249/02.249
R$ 31,00 1x de
QTDE
COMPARTILHE
Sinopse:

A atitude do Vaticano e do Papa Pio XII com respeito aos judeus durante a Segunda Grande Guerra foi objeto de uma vasta polêmica historiográfica. Historiadores, servindo-se da correspondência do Vaticano, chegaram a conclusões divergentes quanto ao papel do Papa e de seus representantes durante a guerra. A América Latina distante da guerra, profundamente católica, neutra a princípio e favorável aos países aliados posteriormente oferecia vantagens reais a um Estado como o Vaticano, cuja preocupação pelo destino das vítimas do racismo era essencial a sua razão de ser. A famigerada Noite dos Cristais, ocorrida entre 9 e 10 de novembro de 1938, foi o estímulo que impeliu a autoridade papal a tomar uma atitude em favor das vítimas do nazismo. Em 31 de março de 1939, dois importantes líderes do catolicismo alemão, Faulhaber, o Arcebispo de Munique, e Berning, o bispo de Osnabruck, apelaram ao recém-eleito Papa Pio XII, solicitando-lhe que obtivesse do presidente do Brasil uma concessão especial de 3.000 vistos destinados a católicos não-arianos da Alemanha. Apesar da oposição do Conselho de Imigração e Colonização, o presidente Getúlio Vargas e Oswaldo Aranha decidiram não contrariar a vontade do Papa. Porém, não tardou muito até o governo brasileiro expor as primeiras de uma longa série de dificuldades visando à negação dos vistos especiais. Primeiramente, exigiu-se que os batizados viessem providos de uma quantia de dinheiro que a política de arianização do regime nazista os impedia, obviamente, de possuir, mais tarde, negou-se a acolhida a famílias mistas nas quais um dos cônjuges fosse judeu. Ao chegarem os primeiros imigrantes ao Brasil, surgiu a suspeita quanto à origem legal dos seus certificados de batismo, e assim por diante. Mas não só o Brasil criava problemas para aceitar judeus, batizados ou não, e a preocupação de alguns líderes católicos não era tão-somente com as vidas humanas em questão, mas também com o bom nome católico e o prestígio dos bispos alemães e da Santa Sé. Eles estavam plenamente conscientes de que as organizações judaicas estavam obtendo vistos para os refugiados judeus, o que o Vaticano não lograva fazer para seus batizados. Ao final, somente 1.000 vistos foram liberados do total da cota especial concedida pelo governo brasileiro ao Papa. Trata-se dos vistos que estavam em poder do embaixador em Roma Hildebrando Accioly. Os 2.000 restantes foram congelados pelo embaixador em Berlim. A autoridade do Papa e os esforços diplomáticos do Vaticano não foram suficientes para salvar 2.000 judeus batizados da Alemanha. Este é o trabalho aqui dsenvolvido por Avraham Milgram, que lançou mão de documentos do Itamarati e do Vaticano numa pesquisa acurada e rica em detalhes. Ele passa em revista a política imigratória brasileira nos anos 30/40 e a postura adotada pelas autoridades do governo Vargas, num dos momentos mais sangrentos da nossa história recente. Trata-se nas palavras de Alberto Dines, DE UM esplendido trabalho investigativo, que resulta num extremamente salutar ... exercício de memória.

Texto Contra-capa:

Estão na moda as listas a mais atual e benemérita é a de Schindler, da qual resultou o celebrado filme de Steven Spielberg. A mais antiga é a List dis Autos da Fé, onde constavam os nomes dos condenados e penitenciados pelas Inquisições Ibéricas. A nomenclatura de que trata o presente trabalho, embora exígua, poderia ser denominada a Lista de Pio XII: é o rol dos judeus que aceitaram converter-se ao catolicismo para escapar do terror nazista e, só assim, conseguiram entrar no Brasil e escapar dos campos de extermínio. É importante assinalar a oportunidade da publicação deste trabalho de Milgram. No momento em que o ensandecimento nacionalista e racista começa a atingir proporções perigosas, ensombrando a perspectiva de um fin-de-siécle ameno, é extremamente valioso e instrutivo recordar o que aconteceu há apenas 50 anos com os mesmos ingredientes e mecanismos.
Alberto Dines


Ficha Técnica:

Autor: Avraham Milgram

Idioma: Português

Direção: Jayme Salomão

Capa: Visiva Comunicação e Design

Editora: Imago Editora Ltda

Impressão: No Brasil (Printed in Brazil)

Páginas: 173

Formato: 20,8 cm (altura) x 13,8 cm (largura)

Peso: 218 g

Acabamento: Brochura

ISBN: 85-312-0339-2

PRODUTO ADICIONADO AO CARRINHO

Itens Relacionados

Mishná - Tratado de Berachot

R$ 45,00

O Texto do Antigo Testamento

R$ 45,00

Sidur Completo

R$ 100,00

Salmos com tradução e transliteração

R$ 60,00

Comentários

Seja o primeiro a deixar um comentário!

Comente

*campos obrigatórios

Você possui 1 item no seu carrinho!

QUEM COMPROU, VIU TAMBÉM: